DISCÓBOL

ANTÓNIO JORGE

Alfacinha, capricorniano de nascimento e benfiquista por convicção. Diz que a melhor forma de conhecer a verdadeira Lisboa continua a ser o popular 28 da Carris. Homem da Rádio desde que se lembra e mais tarde da Televisão, sente-se cada vez mais seduzido pelas palavras e pelos livros. A fotografia é também uma paixão de sempre, tal como a música – particularmente a portuguesa.

Lema de vida: partilhar é preciso, mas comunicar é essencial.

DISCO #4

Janeiro é desde algum tempo, um dos valores seguros da chamada nova geração da Pop nacional. As luzes dos holofotes caíram-lhe em cima quando Salvador Sobral o escolheu para participar no Festival RTP da Canção em 2018. O jovem Henrique Janeiro de 23 anos estudou Musicologia, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

 

 

Três anos depois da edição de um EP, chegou “Fragmentos”, titulo do álbum estreia recebido de braços abertos quer pela critica, quer pelo público. Um excelente conjunto de 15 canções influenciadas por compositores que vão desde Rui veloso a Bob Dylan. O expecto é obviamente vasto, mas o seu talento também. Janeiro é um jovem que trata bem a Pop escrita em português, até porque não tem dúvidas em afirmar que” as canções do Carlos Tê são as melhores escritas em português”. Bem-vindo.

 

OIÇA TAMBÉM

ivo-soares.jpg
sapoMag.jpeg
maro_cantora58392fe2_base.png

© 2019 PAJU. Todos os direitos reservados.

Site optimizado para as versões do Internet Explorer iguais ou superiores a 9, Google Chrome e Firefox

  • Facebook Social Icon
  • YouTube Social  Icon